21 de julho de 2009

...dEpOiS...dE...mUiTo....tEmPo...

Soneto do amigo
Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.
É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.
Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.
O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...

3 comentários:

Aline Gomes Ribeiro disse...

ficou lindo o móbile!mt criativo!deve ter dado um trabalhão!!!

Arte de Dobrar e Cia disse...

Menino de Mãos de Ouro...Criativo , Original ...Gostei muito, estou realmente encantada com seu mobile , tão maravilhoso....

Thales disse...

Oi Emanuel
Gostei muito do seu móbile, adorei como o trabalho ficou :)
Flws